Um Esboço de Escatologia Bíblica:

21/09/2012 09:34

 

Introdução:

Há presentemente no mundo uma multidão de homens e mulheres que se intitulam videntes, astrólogos, magos, adivinhos, futurólogos, cada um procurando satisfazer a curiosidade de uns e a sede da verdade de outros, quanto ao futuro do mundo e da humanidade.

A verdade divina, todavia, pertence exclusivamente à Palavra de Deus!

Em meio a essa multidão de falsos profetas, o fiel cristão precisa ter muito cuidado para não ser enganado, especialmente pelo fato desses enganadores agirem no seio da igreja.

A Palavra de Deus nos alerta: Mt 24.11: Quanto aos últimos dias, Jesus adverte dizendo: “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos?”. 2 Pe 2.1,2: Aí, também somos advertidos pela Palavra que diz: “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmo repentina destruição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais, serão blasfemado o caminho da verdade”.

Mas, o que é Escatologia Bíblica? É o estudo dos eventos que estão para acontecer segundo as Escrituras. Dos eventos que fazem parte do plano divino e eterno através dos séculos, conforme Ef 3.11; At 15.15-18; Is 46.10; 45.11; 2 Tm 1.9

O Termo Escatologia e a Sua Derivação:

Formado por dois radicais gregos: “Eskatos” - que significa último; e “Logia” - que significa tratado. Ou seja, o vocábulo Escatologia significa “O tratado das últimas coisas”.

primeiro termo aparece em textos como At 2.17 e Jo 11.24. O segundo termo aparece em 1 Co 16.1-2, traduzido em português por coleta, pelo fato de indicar reunião, conjunto (como um tratado, onde inúmeras idéias estão reunidas).

Em estudo bíblico são, principalmente, “As coisas que brevemente devem acontecer” - Ap 1.1.

A Causa de dúvidas e confusões sobre este assunto:

Falta de afinidade do Crente com o Espírito Santo. Daí falta de introspecção espiritual e incapacidade de decifrar o texto divino (1 Co 2.10,14).

Falsa aplicação do texto bíblico nos seus variados aspectos, quanto à: povo, tempo, lugar, sentido do texto, mensagem do texto, procedência da mensagem.

“Manejar bem a Palavra da Verdade” (2 Tm 2.15), é aplicar corretamente o texto bíblico quanto aos elementos acima. Ë dever de todo obreiro do Senhor manejar bem a Palavra da Verdade. Tanto é criminoso o omisso como o corruptor da sã doutrina.

Conhecimento bíblico desordenado. Há crentes portadores de um admirável conhecimento bíblico, mas, infelizmente... avulso, solto, desordenado, tipo catálogo de telefone, onde uma informação nada tem com a outra. Isto é não é um conhecimento bíblico sistemático.

Conhecimento que é apenas especulação do raciocínio humano (1 Co 2.14). Neste tipo de conhecimento que muitos crentes tem, não há qualquer intenção de consagração ao Senhor, e muito menos obediência a Sua vontade.

Há muita diferença entre “amar sua vinda” (2 Tm 4.8) e especular sobre a sua vinda.  Qual é o caso do leitor...?

A ação deletéria de falsos mestres. Esta é outra causa de dúvidas, controvérsias e confusão em Escatologia Bíblica.

O Campo do estudo escatológico:

A escatologia inicia tratando da morte e estado intermediário dos justos e injustos, Vinda de Jesus, Ressurreição, Juízos, etc.

Os primeiros tópicos acima são mais abordados em livros e reuniões de estudo bíblico. Começaremos, portanto o nosso estudo com a Vinda de Jesus e uma cadeia de acontecimentos culminando com o julgamento das nações, seguindo-se o milênio, a revolta de Satanás e o julgamento dos mortos ímpios, a expurgação dos céus e terra, e o perfeito estado eterno.

Livros específicos, tratando de Escatologia:

Daniel, Apocalipses, 1 e 2 Tessalonicenses, 2 Pedro, Joel, Sofonias, Zacarias.

Além disso, os inúmeros capítulos inteiros ou parciais, tratando de escatologia. Exemplo: Lv 23; Mt 24 e 25; Muitos capítulos dos Profetas, Salmos e Epístolas.

As doutrinas escatológicas

Há, pelo menos, oito grande doutrinas escatológicas, a saber:

A Doutrina da morte e do Estado Intermediário: A Morte como Agente. A Morte como um ato. A Morte como um estado

A Doutrina dos Juízos: O Juízo do Pecado (Jo 12.31) - O homem como pecador. O Juízo do Crente (1 Co 11.31,32) - O homem como filho de Deus. O Juízo das Obras do Crente (2 Co 5.10) - O homem como servo de Deus. O Juízo de Israel durante a Grande Tribulação (Dn 12.1; Mt 24.15-29). O Juízo das Nações viventes (Mt 25.31-46; Jl 3.2-12). O Juízo do Diabo e seus anjos caídos (Ap 20.10; 1 Co 6.3).  O Juízo dos ímpios falecidos (Ap 20.11-15)

A Doutrina das Ressurreições: Haverão duas ressurreições: A dos justos e a dos injustos, havendo um intervalo de mil anos entre elas (Jo 5.28,29; Dn 12.2; Ap 20.5). A Primeira Ressurreição (a dos justos), abrange diversos grupos de salvos e ressuscitados (1 Co 15.23). Aí, o termo original “Tagma”, significa grupo, fileira, turma, como num dispositivo militar ou escolas.

A Doutrina da Vinda de Jesus: A Vinda de Jesus abrange: O Arrebatamento da Igreja; O Juízo da Igreja; As Bodas do Cordeiro; A Ceia das Bodas do Cordeiro; A Grande Tribulação; A Volta de Jesus em glória - na Terra

A Doutrina do Milênio: O Reino de Cristo implantado na Terra, com justiça e paz por mil anos.

A Doutrina da Revolta de Satanás: Isso ocorrerá após o Milênio

A Doutrina do Perfeito Estado: Apocalipses capítulos 21 e 22 descrevem a glória deste estado perfeito e eterno

A Doutrina das Dispensações e Alianças Bíblicas: No ciclo da História humana, a Bíblia trata de sete dispensações e oito alianças entre Deus e os homens. Na doutrina das Dispensações e Alianças, é próprio incluir: O estudo das Eras Bíblicas, dos Tempos e Dias Bíblicos.

As Escolas de Interpretação Escatológica:

As diferentes escolas resumem-se em três:

A Escola Pré-Milenista: Ensina que a Vinda de Jesus ocorre antes do Milênio.

A Escola Pós-Milenista: Ensina que a Vinda de Jesus ocorre após do Milênio.

A Escola Amilenista: Ensina que o Milênio não existe

O Movimento Pentecostal e a introspecção escatológica:

Sendo este um movimento do Espírito, não é de admirar que também a Escatologia seja aprofundada (1 Co 2.10).

Nos últimos 80 anos tem sido maravilhoso o progresso no conhecimento bíblico da Escatologia.

—————

Voltar