QUAL SERÁ O MAIOR PECADO QUE UM SER HUMANO PODE COMETER?

19/09/2012 13:40

 

Primeiramente é mister se definir o que significa pecado e a quem isso implica. Pecado em grego “HARMATIA" significa transgredir, errar, praticar o mal. Em suma, é tudo que a humanidade faz em desacordo com a vontade e as leis de Deus, pecado sempre estará relacionado com Deus, um ato contrário à Sua Palavra e desobediência aos seus mandamentos. O pecado é um ato de rebeldia: "Todo aquele que pratica o pecado, também transgride a lei, pois o pecado é a transgressão da lei".

Conceituando pecado, parte-se para o propósito desse estudo, tentar demonstrar qual o maior pecado que um ser humano pode cometer. A primeira resposta de um cristão conhecedor da palavra de Deus, ante a este questionamento certamente seria o que nos relata Jesus no evangelho de Mateus “Portanto, eu vos digo: todo pecado e blasfêmia se perdoarão aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada aos homens. E se alguém falar alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado, mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro”. Perfeito, mas e aqueles que ainda não conhecem e não experimentaram o poder do Espírito Santo em suas vidas, não podem blasfemar de algo que não conhecem.

Uma pessoa não tão conhecedora assim dos escritos sagrados, provavelmente diria que o maior pecado que um ser humano poderia cometer seria um crime hediondo, um assassinato, um estupro, ou seqüestro seguido de morte, um crime contra a vida.

Dos exemplos de infrações acima citados, o Código Penal Brasileiro criado pelo Decreto-lei n.º 2.848, de 7 de dezembro de 1940 nos artigos 121 e 159 atribuem penas pesadas para estes crimes:

“Art. 121 - Matar alguém:

Pena - reclusão, de 6 (seis) a 20 (vinte) anos.

Caso de diminuição de pena

§ 1º - Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.

Homicídio qualificado

§ 2º - Se o homicídio é cometido:

I - mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe;

II - por motivo fútil;

III - com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;

IV - à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível à defesa do ofendido;

V - para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime:

Pena - reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.

................

Art. 159 - Seqüestrar pessoa com o fim de obter, para si ou para outrem, qualquer vantagem, como condição ou preço do resgate:

Pena - reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.

§ 1º - Se o seqüestro dura mais de 24 (vinte e quatro) horas, se o seqüestrado é menor de 18 (dezoito) anos, ou se o crime é cometido por bando ou quadrilha:

Pena - reclusão, de 12 (doze) a 20 (vinte) anos.

§ 2º - Se do fato resulta lesão corporal de natureza grave:

Pena - reclusão, de 16 (dezesseis) a 24 (vinte e quatro) anos.

§ 3º - Se resulta a morte:

Pena - reclusão, de 24 (vinte e quatro) a 30 (trinta) anos.

Partindo desse segundo exemplo, pode-se notar que se mede o grau de intensidade de uma penalidade pelo grau de intensidade do dano, ou do erro cometido, ou seja, quanto maior o erro, mais pesada à pena.

Trazendo para o questionamento proposto: “Qual será o maior pecado que um ser humano pode cometer? Seguindo a mesma teoria de quanto mais pesada à pena, mais grave o crime, ou o pecado, que pena seria maior do que a perdição eterna?” Mas que crime seria este tão grave para se ter uma pena tão pesada?

O plano de Deus para a salvação dos homens está à disposição de todos, o sacrifício de Cristo na cruz foi suficientemente completo e perfeito para abranger toda a humanidade, em todos os tempos. No evangelho de Mateus está escrito “E ela dará a luz a um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados”. E no mesmo evangelho nos relata “Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão de pecados”.

No evangelho de João se reforça o plano e a dimensão da salvação ofertada por Deus:

“E, como Moises levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou seu filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele”.

Nota-se nesses textos da bíblia sagrada o tamanho do amor de Deus pela humanidade, que não poupou seu bem maior. O apóstolo Paulo ratifica este amor escrevendo aos Romanos:

“Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação”.

E como ter acesso a essa salvação proporcionada por Cristo? O próprio apóstolo Paulo nos dá a resposta na mesma epístola aos Romanos: “Se, com tua boca, confessardes ao Senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para salvação”.

Mas como saber se sou pecador, afinal pratico boas obras, procuro obedecer às leis, cuido de meus negócios de maneira honesta e responsável, minha família é estruturada não tenho vícios e faço muitas doações a asilos e orfanatos, ou seja, não preciso de Salvador, sou uma pessoa generosa, certo?

Errado. Na epístola aos Romanos o apóstolo dos gentios declara “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer... Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.

Na carta aos Efésios Paulo confirma: “Porque pela graça sois salvo, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”.

Desta forma, todos necessitam de um Salvador, e Cristo se mostra como único e suficiente, pois no mesmo livro, Paulo declara: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor”.

Esta morte descrita acima, não é apenas uma morte física, mas uma morte espiritual e eterna, pois a palavra de Deus em momento algum diz que após a morte haveria alguma oportunidade de salvação para aqueles que rejeitassem a oferta de salvação proporcionada por Cristo em vida. No livro de Apocalipse está escrito:

“Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte”... E vi, os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros. E abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte”.

Assim sendo, todos pecaram e necessitam de Jesus Cristo, o único Salvador que se entregou morrendo numa cruz, no terceiro dia ressuscitou, e através de seu sacrifício, todos os pecados foram perdoados e a dívida que tínhamos foi quitada na cruz do calvário, bastando apenas à humanidade aceitar e confessar este Salvador, sob pena de ter o destino previsto para aqueles que não aceitassem este sacrifício, ou seja, o lago de fogo e o sofrimento eterno.

Com essas considerações pode-se declarar que O MAIOR PECADO QUE UM SER HUMANO PODE COMETER é o de não aceitar a Cristo como seu Senhor e Salvador Pessoal e para aqueles que um dia O aceitaram, o de rejeitar e apostatar da sua fé no Salvador.

No evangelho de João o próprio Salvador declara: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”.

Infelizmente para esses a pena já está decretada e será a perdição eterna, pois negligenciaram todo o plano de Salvação oferecido por Deus através de Jesus Cristo, nosso Senhor.

Uma pena pesada e dura para um pecado gravíssimo, o de rejeitar o amor de Deus.

—————

Voltar