O SERMÃO CORPÓREO

25/10/2012 14:09

 

O Pregador deve explorar o potencial do seu corpo para que a mensagem flua de forma natural.

1.                Postura: Ereta, elegante, não agressiva, sem afetação ou hábitos que prejudiquem o Sermão. Elimine os cacoetes.

2.                A expressão facial: Refletirá o coração do pregador.

3.                Os Olhos: O mais enérgico meio de influenciar. Indicam malícia, conquista, esperteza, pouco caso, desconfiança, espanto, surpresa, preocupação, devaneio, etc.

4.                Gestos: A gesticulação pode ajudar ou não o pregador.

5.                As mãos: Estão visíveis! Cuidado com elas. Mãos nos bolsos, dedo no nariz, o uso do lenço, violência com o púlpito ou a Bíblia, podem simplesmente “ matar” a pregação.

6.                Movimentação. Você não é estátua nem fantoche. Não faça movimentos bruscos. Cuidado com movimentos de vai-e-vem. Ao deslocar-se cuidado com os fios e os pés de quem está no púlpito.

7.                A voz: Deve ser forte, porém sem gritos. O som deve ser puro e natural. Não use vos afetada ou maquiada. Voz de resmungador, gritador, cantarolador, monótonas, repetidor, pigarreador, e outras podem atrapalhar e muito a receptividade do auditório e transformar o pregador na “piada do culto”.

8.                Roupas: Decentes, modestas, sérias, confortáveis e limpas.

9.                Asseio: Banho tomado, dentes bem cuidados, cabelos limpos e penteados, sem odores agressivos.

10.           Vocabulário: Não use palavras chulas e nem de baixo calão. O cuidado não é com palavrões apenas, existem palavras que são agressivas e que não devem ser usadas no púlpito. Cuidado com os regionalismos. Existem palavras que em um lugar é inocente e em outros são agressivas. Aqui o padrão não é você e sim a platéia. Na dúvida, não use. Não faça gracejos no púlpito, evite os jargões.

—————

Voltar