O Milênio

21/09/2012 09:41

 

O Milênio ilustrado em miniatura: Lc 9.27-31: Jesus em Glória. Moisés representando os santos que dormiram no Senhor. Elias representando os santos transladados. Pedro representando os santos que estarão vivos. A Multidão ao pé do monte, representando as nações que terão lugar no Milênio. O Tema do milênio - A morte expiatória do Cordeiro de Deus (Lc 9.31).

O Milênio será o esplendoroso reinado de Cristo na terra, por mil anos (Ap 5.10; 20.4-7; Is 65.20,21,25; Dn 2.35,44; Lc 1.32,33).

O Milênio será resposta divina às milhões de orações do povo de Deus, de todas as épocas: “Venha o teu Reino!” Mt 6.10.

O Milênio é ansiosamente aguardado pelo povo Israelita (Mt 19.28; At 1.6,7).

A criação toda, também, aguarda esse tempo para a sua libertação (Rm 8.19-23).

O Milênio ocorrerá após a volta de Jesus. Comparar Ap 20.11-16 - A volta de Jesus, seguida de Ap 20.2,4,6,7 - O Milênio.

Toda oposição a Deus será neutralizada durante o Milênio (1 Co 15.24,28).

Satanás estará preso no abismo durante os mil anos (Ap 20.1,3).

O Reino de Cristo será único e universal (Zc 14.8,9,10; Dn 7.14; Fl 2.11). Ouvir-se-á então “A Canção dos Reis da Terra em Louvor ao Senhor!” Até que enfim! (Sl 138.4,5;72.11). No Milênio cessará toda e qualquer supremacia de nações, com exceção de Israel, que será a cabeça das nações, sendo Jerusalém a capital do mundo (Is 2.2,4; 11.10,12; Zc 8.22,23; Jr 3.17; Is 27.6; 60.3; 66.20). O Egito será uma nação temente a Deus e unida a Israel (Is 19.21,25).

O templo Milenal estará em evidência (Zc 6.12,13,15; Ez 40 a 44).

A cidade de Jerusalém Celeste descerá e pairará nas alturas, acima da Jerusalém Terrestre (Is 2.2; Mq 4.1; Is 4.5; 24.23).

Toda a carne verá a glória de Deus manifesta (Is 35.2; 40.5; Sl 72.19).

A Igreja estará glorificada com Cristo na Jerusalém Celeste, como povo especial e escolhido (Cl 3.4; 1 Pe 5.1; Rm 8.17,18,30).

O pecado e seus males não serão tolerados nem de leve (Sl 2.10-12; Is 60.12; 65.20; 2.3).

Prevalecerá afinal a paz e a justiça entre as nações (Mq 4.3; Is 11.5; 32.17,18; Sl 99.4).

Pleno derramamento do Espírito Santo (Is 32.15; 28.32; Ez 36.27; 39.22; Zc 12.10; At 2.19,20).

A vida humana será outra vez prolongada como no princípio (Is 65.19,20,22; 35.3 Zc 8.4).

Haverá mudança na natureza animal: A sua ferocidade será removida (Is 11.6,8; 66.25; Ez 34.25).

Haverá mudança também no relevo do solo (Zc 14.10; Is 2.2).

Classes de povos participantes do Milênio: Crentes Glorificados: Salvos do Antigo Testamento; Salvos do Novo Testamento; Salvos durante a Grande Tribulação. Povos naturais, isto é: Judeus saídos da Grande Tribulação; Gentios poupados do Julgamento das nações; Povos nascidos durante o Milênio.

Toda a terra se encherá da glória do Senhor, inclusive a restauração da natureza (Nm 14.21).

Israel possuirá então toda a terra prometida a Abraão (Gn 15.18; 17.8; Ex 23.31; Is 54.3). Isso incluirá Amom (parte da atual Jordânia): Is 11.14; Nm 24.17 e 18; Sl 60.8,9.

Só aí começará o Reino Milenal de Cristo, pois em Ap 20 existem três pontos a considerar, sobre os quais entendermos que o reino ainda está por vir:.Cronologicamente é depois do descrito no capítulo 19. Pode-se reconhecer pelos repetidos “e eu vi” (Ap 20.1-4 e 11) comparados nos Capítulos 18.1-4 e 19.1,6,11,17,19,21; 21.1-2 indicam seqüência de acontecimentos. O contexto dos Capítulo 19 e 20 não há como duvidar de que os mil anos ocorrerão depois da Vinda do Senhor.

Durante mil anos Satanás estará amarrado no abismo, o que, definitivamente, não se pode verificar nos dias atuais.

Todos os crentes estarão ressuscitados e glorificados, reinando juntamente com Cristo, ou seja, nenhum crente estará na sepultura.

Isto evidentemente não ocorre hoje. Os crentes mortos não reinam com Cristo. Eles reinarão sobre a terra após a ressurreição (Ap 5.20), E o mais importante: Cristo, mesmo como Filho de Deus não reina agora. Não é este mundo que estará sujeito a Cristo. Não vemos agora tudo a Ele sujeitado (Hb 2.5-8). Deus disse ao Senhor Jesus: “Senta-te a minha destra até que ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés (At 2.34,35). Isso não se cumpriu. O próprio Cristo espera o cumprimento desta palavra. Deus logo lhe dará o Trono de Davi, contudo ele ainda não possui este trono (Hb 10.12-13; Lc 1.32; Ap 3.21). Vede também Ap 19.15 e 10.4-6. O governo de Cristo será depois de Sua Vinda”. Por isso Paulo diz que os cristãos deverão ter condições de julgarem a si próprios, resolvendo os problemas entre si mesmos. Deverão eles julgar o mundo e os anjos. Isso é governar! (1 Co 6.2-3). Este nosso reinar com Cristo é o propósito do Pai. Isto no Antigo Testamento era um mistério, pois não foi revelado que Cristo reinasse sobre Israel e as nações, a Igreja reinaria com Ele. Dn 7 afirma que os santos dos lugares celestiais receberão o poder de governar juntamente com o Filho do homem (vrs. 18,22-27). Mas não fala de governar, e de ter a glória do Filho do homem.

Só agora nos foi revelado que Deus não coroará de glórias apenas o Filho do Homem, colocando tudo a seus pés, também trará muitos santos à glória (Hb 2.5-10; Sl 8.4-6). O mistério da vontade de Deus começa numa dispensação na qual não só tudo é colocado aos pés de Cristo, mas também os seus santos serão co-herdeiros com Ele (Ef 1.9-11; Rm 8.4-6). Quando Sl 8 se cumprir a exceções não será apenas o Pai. A Igreja também será, pois não estará em sujeição à Cristo. Pelo contrário, Deus deu como cabeça a Igreja juntamente com Jesus, a qual é o seu próprio corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas (Ef 1.20-23).

Isto não foi revelado aos profetas do Antigo Testamento, a própria Igreja era um mistério totalmente desconhecido (Ef 3.2-6; Cl 1.26,27; Is 55.5).

As profecias tratam dos caminhos de Deus com respeito à terra, ao Governo de Cristo sobre os que estarão na Terra, as ovelhas que estarão no Reino e o Povo remido de Israel. A parte da Igreja é a parte de Cristo! Isto não é surpresa se considerarmos a ligação íntima de Cristo com a Igreja (Marido - esposa, Cabeça - corpo). Quando lemos Sl 8 vemos em Ef 2 e Hb 2 que a Igreja não faz parte dele. No Sl 2 lemos atribuída a Cristo uma função que é atribuída a Igreja em Apocalipse. Isaías diz que Cristo reinará no Trono de Davi, mas Ap 3.1 o mesmo é atribuído aos crentes! A Igreja, a esposa, o corpo de Cristo terá a Glória do Rei (Ap 21.11) vede também: Ap 4.3; 21.23-24.

—————

Voltar