É Pecado Ter Dúvidas?

19/09/2012 13:32

 

O autor Tim Keller é um dos grandes defensores da fé cristã hoje em dia. Ele escreveu o seguinte no seu livro “The Reason for God” (pelo que sei, ainda não traduzido para o Português) sobre o fato dos cristãos terem dúvidas. A tradução é minha:  “A fé sem ter algumas dúvidas é como o corpo humano sem ter anticorpos … A fé de uma pessoa pode entrar em colapso da noite para o dia se ela deixar, ao longo dos anos, de ouvir pacientemente suas próprias dúvidas, que somente devem se descartadas depois de uma longa reflexão...”

Já o grande teólogo Samuel Rothenberg resumiu tudo isto numa frase bem curta: “um cristão sincero é composto de muitas perguntas”.

Concordo com Keller e Rothenberg: ter dúvidas, em princípio, é algo saudável e parte do processo de viver e crescer na fé cristã. O apostolo Tomé teve dúvidas, quando viu o Cristo ressuscitado, e pediu para colocar as mãos nas chagas que Ele tinha (ver Evangelho de João, capítulo 20, versículos 24 e 25). E não foi deixado de lado por causa disto.

É claro que não é desejável que o cristão fique marcando passo, sempre com as mesmas dúvidas. Superar as dúvidas existentes e passar para novas, diferentes das anteriores, é sinal de crescimento espiritual, de uma fé atuante e viva.

Mas, muitas vezes fica difícil para o cristão demonstrar honestamente suas dúvidas quando, na comunidade de fé (igreja) que frequenta, não há espaço para isso. Infelizmente, em muitas comunidades, qualquer sinal de dúvida torna a pessoa “suspeita” – muitas vezes é até obrigada a passar por uma “reeducação”. Conheço vários casos desse tipo. Assim, todos os membros desse tipo de comunidade acabam se apresentando como donos de uma fé inabalável, quando isto não pode ser verdade. A hipocrisia, então, se torna uma companheira constante das pessoas, o que é péssimo para sua saúde espiritual – vale lembrar que a hipocrisia foi fortemente atacada por Jesus (ver Evangelho de Mateus, capítulo 23, versículos 27 e 28).

A Bíblia, que é nossa fonte de inspiração para todas as situações, fala de pessoas, que foram gigantes da fé, mas que tiveram dúvidas. Acho que basta mais um exemplo, além de Tomé, para comprovar minha alegação. Elias, foi um grande profeta do Velho Testamento e depois de enfrentar sozinho 400 profetas do Deus pagão Baal e ser ameaçado de morte pela rainha Jezebel, sentiu-se fraco espiritualmente, duvidou e teve que ser socorrido por Deus (ver 1 Reis, capítulo 19, versículos 3 a 8).

Logo, não tenha medo de discutir as suas dúvidas. A própria Bíblia nos diz para fazermos isso (ver Primeira Epístola de Pedro capítulo 3, versículo 15). Se tiver dúvida, escreva para o blog e, se eu souber, terei o maior prazer em responder. Se não souber, tentarei achar a resposta, esteja onde ela estiver, caso exista.

Mas, nunca devemos nos esquecer de que para algumas de nossas perguntas haverá respostas satisfatórias e para outras não, pois não vamos conseguir entender tudo que se refere a Deus, devido à limitação das nossas mentes. E é preciso aceitar esse fato. Quando isto acontecer, o que nos cabe é andar pela fé e não pela razão, como Paulo nos ensinou (ver 2 Corintians capítulo 5, versículo 7). E será a nossa experiência com o próprio Deus que nos comprovará o acerto dessa decisão.

—————

Voltar