A Herança da Igreja em Cristo

21/09/2012 09:34

 

Infelizmente, muitas igrejas não mais ensinam estas doutrinas, ou ainda, a deturpa. É lamentável um crente não saber destas coisas, porém é muito pior sabê-las e não vivê-las. O Senhor comunicou-nos o seu retorno para breve, não apenas para satisfazer a nossa curiosidade, mas para que o nosso coração, e os nossos desejos se ocupassem dEle. Ele espera em nós lombos cingidos, lamparinas acesas, na expectativa como homens que esperam o seu Senhor e que a qualquer hora em que Ele bater, as portas logo lhe sejam abertas (Lc 12.35-37). Se a Igreja não entende estas verdades, como a experimentarão como uma realidade viva? A medida que o entendimento da Vinda do Senhor cai, a expectativa também cai, e vice-versa. A partir do Sc IV d.C., com o fim das perseguições e o começo de uma época de paz aparente, a Vinda do Senhor começou a ser esquecida. Acham que o Senhor voltará, mas está tão longe...

Observar assim esta doutrina é uma coisa, viver a expectativa da volta do Senhor é outra. Podemos faltar com a vigilância! No decorrer dos tempos, Seitas e grupos surgiram, para os quais, a vinda do Senhor era um tormento. Não se trabalhava, não se comia, ia-se para os montes esperar a Vinda do Senhor.

Paulo repreende tal ação. Os crentes devem continuar trabalhando para encontrar o pão diário (1 Ts 4.10-12; 5.14a; 2 Ts 3.6-12).Devemos equilibrar o servir ao Deus vivo e verdadeiro com o esperar a Vinda do Senhor.

Isto porque, esperar a morte não é esperar a Volta do Senhor. Não encontramos na Bíblia escrito que quando o crente morre o Senhor o venha buscar! Lázaro morreu, os anjos levaram-no ao seio de Abraão, mas quando a Igreja for arrebatada, o próprio Senhor virá com voz poderosa, voz de arcanjo e com a trombeta de Deus buscar o Seu povo! Isso ele não deixará para nenhum outro fazer! Ele vem pessoalmente buscar a Sua noiva para levá-la à Casa do Pai. Somente quando Cristo vier, os crentes (tanto vivos quanto mortos) serão levados para a Casa Paterna. Os crentes que agora morrem vão para o Paraíso, lugar maravilhoso, mas que não se compara ao estar com Cristo! A Casa do Pai será um lugar glorioso e exaltado, onde desde a eternidade tem sido a morada do Altíssimo e de seu Filho! Também os crentes mortos ainda não são perfeitos, pois se estão livres de pecados e com a alma no Paraíso , seus corpos estão na “Cova da destruição”. Os crentes que morreram também esperam a vinda do Senhor para então, aí com seus corpos ressuscitados e glorificados, corpo, alma e espírito entrarão na casa do Pai como “Homens completos”. Paulo sabia que não estaria vivo na Vinda do Senhor, e Pedro também, (Jo 21.18-19; 2 Pe 1.3-15; 2 Tm 4.6-8; Fp 1.23). Contudo, ele preferia ter parte como vivo na Vinda do Senhor (2 Co 5.51; 1 Co 15.42-52).

Assim, existem duas possibilidades de adquirirmos um novo corpo:

Sermos despidos - deixar o corpo através da morte;

Sermos revestidos - sendo o mortal absorvido pelo imortal, sermos transformados vivos (1 Co 15.51-54; Fp 3.21).

Portanto, podendo escolher, a escolha é fácil. Contudo, se for escolher entre estar no corpo, com as vicissitudes da vida, ou estar ausente do corpo e na presença do Senhor, a escolha é igualmente fácil: Estar com Cristo é muito melhor!

Sabemos que a morada destinada para o homem é a terra, e não o céu. Assim sendo, não é coisa natural que a Igreja vá habitar o céu definitivamente. Os homens de todos os tempo habitarão na Nova Terra com corpos transformados ou ressuscitados, lemos em Ap 21.3 que o Tabernáculo de Deus estará com os homens, e Ele mesmo habitará com eles. O destino final dos santos que dormem no Paraíso é a Nova Terra, quando ela tiver passado pelas mesmas transformações que eles (homens) passaram na ressurreição. Mas a parte da Igreja é diferente! O Senhor foi preparar-nos lugar na Casa do Pai (Jo 14.3) e algum tempo depois, Ele pediu ao Pai que onde ele estiver, aí estejamos nós (Jo 17.24).

A Esperança de Israel é a ressurreição e a Nova Terra, a esperança da Igreja é a ressurreição e o Céu. Ele nos escolheu para desfrutarmos bênçãos espirituais em lugares celestiais (Ef 1.3-6,18) e logo Ele nos introduzirá na glória (Rm 5.2; 1 Jo 3.2,3; Cl 1.27; Tt 1.2; 2.13; 3.7). Esta parte é apenas para os crentes que estão ligados a um homem ressuscitado e glorificado nos céus e que como garantia, receberam o Espírito Santo. Haverá, também, eventos nos céus: As Bodas do Cordeiro, e, antes desta, o Tribunal de Cristo.

—————

Voltar