A falta de postura gera o mau-caráter

19/09/2012 13:46

 

Tento imaginar o dia em que o governo dirá: "Legalizaremos a pirataria!" Muitos neste dia dirão: "É um absurdo! Querem legalizar algo inapropriado! Agora todos piratearão." Ou pior, talvez algum dia o governo dirá: "Os jogos de apostas, mais conhecidos como jogos de azar, serão legalizados. Todos poderão gastar suas finanças nos mesmos." Mais gente ficará ressentida com isso. Mas qual é o problema por detrás disso?

O grande problema nisso tudo é a falta de caráter do brasileiro. Este só reclama quando o problema já adentrou oficialmente no Brasil. O caso do aborto, que é o mais discutido atualmente, é outra questão de extrema importância nos últimos 25 anos. Porém, o que se vê hoje, são massas populacionais que tratam deste problema hoje só poque candidatos à presidência do Brasil querem tratar deste problema que já faz parte da latente história de todos os brasileiros (veja mais no site da Globo).

Isso para mim é pouca vergonha. Poucos brigam para consertar o problema em seu início. Como foi o caso da candidatura de Tiririca. Este se candidatou e poucos comentavam sobre embargá-lo antes de sua candidatura e, dentre desses poucos eu me encaixava (leia meu artigo "Pra mim é uma falta de vergonha e desrespeito"). Agora, após sua eleição, a Promotoria Regional Eleitoral quer saber se ele é capaz de continuar exercendo o cargo de Deputado Federal (lei mais aqui).

Não seria mais fácil evitar que o aborto se tornasse algo envolvente e latente na vida dos brasileiros em seu início? Igualmente na campanha de Tiririca, não teria sido melhor não aceitar sua candidatura? Poderia-se dizer o mesmo das máquinas caça-níquel e de vários outros problemas. Mas o que se vê é descompromisso com a realidade que bate à nossa porta.

O fato é que brasileiros são muito corruptos e falsos. Trabalham o problema só porque a mídia os abordou. A falta de compreensão real do problema é notória entre os brasileiros. Exemplo maior é o que estão falando de Dilma Rousseff, candidata à presidência do Brasil. Segundo notícias ela apóia a legalização do aborto. Mas não estaria ela apoiando a legalização simplesmente porque esta prática já é notável no Brasil? Quem sabe sua intenção não seja de fiscalizar a higiene e profissionalismo dos que trabalham neste ramo? Se essa é a intenção se torna algo impressindível aos brasileiros. E isso não é apoiar o aborto, mas cuidar mais de perto de uma prática que, na real, é de alcance de todos, mesmo não sendo oficial (que fique claro: Eu, Carlos Chagas, sou contra o aborto na maioria dos casos). Brasileiros, a cada dia, demonstram ser massa de manobra. E estes o são mesmo, de fato. É só um avião cair em cima de um prédio que logo após vem a discussão se o aeroporto deveria ter sido construído em área urbana. Mas poucos lembram que, quando um aeroporto é construído, geralmente é em área afastada de moradias, mas estas dão um jeito de se aproximarem daquele. Além do mais, mais fácil é não morar perto do problema. Se escolho morar perto de uma fábrica de bombas não posso experar que a qualquer momento esta exploda o bairro inteiro restando apenas uma casa ilesa, a saber, a minha. Não quero dizer aqui que não se deve correr atrás de justiça, mas que a falsidade deve ser combatida. A cidadania deve ser exercida a todo custo. Você é um ser social e deve agir como.

Atualmente temos grandes problemas como: Pedofilia, estupros, caça-níqueis, prostituição como trabalho (isso tem mais de 3 mil anos!!!), escravidão (veja matérias desse tipo), homossexualismo como doença e como raça superior, etc. A pergunta é: Lutar-se-á para a erradicação desses problemas só após sua promoção? E outra: Não seria a promoção dos mesmos uma resposta à nossa negligência? Lute para que tais problemas não SURJAM, senão, o que restará, será apenas o remediar dos problemas.

—————

Voltar